sábado, 12 de maio de 2012

Inflação

Ao analizarmos as missões governamentais, observamos que nos últimos dezoito anos a missão estabilizadora que tem como objetivo reduzir a inflação e o desemprego, tem tido um desempenho satisfatório. Embora tenhamos ainda uma inflação  elevada para os padrões de uma sociedade avançada, caminhamos para no futuro alcançarmos metas digna de uma sociedade moderna.Quanto as taxas de desemprego atualmente encontra-se em um patamar histórico como uma das mais baixa até aqui conseguida. A inflação deve ser entendida como uma situação em que há um aumento generalizado e contínuo de preços. A inflação foi e continua sendo um dos temas mais discutidos dentro das análises sobre a economia brasileira. Como sabemos somos uma sociedade que historicamente temos muitas experiências inflacionárias. A inflação deve ser vista como um processo em razão de sua generalidade e continuidade e não por uma ocorrência pontual. Se os preços de todos os bens e serviços aumentassem durante um determinado período de tempo e logo em seguida se estabilizarem não podemos caracterizar um processo inflacionário e sim um ajuste no sistema econômico. A inflação anunciada do mês de abril\2012 que ficou acima das expectativas das autoridades monetárias não é motivo suficiente para alguns já estarem fazendo previsões pessimista em relação a sua trajetória (elevação). Os motivos estão relacionados com questões climáticas  que provocaram queda nas safras agrícolas que geraram um aumento nos preços dos alimentos e também por elevações da carga tributária em setores específicos. A estabilização de preços é uma conquista da sociedade brasileira  que tem demonstrado nos últimos anos a sua importância para o planejamento global do país em termos de produção nacional. As consequências da inflação no âmbito social é visível principalmente no aspecto distribuibutivo de renda já que os trabalhadores saem perdendo, o seu poder aquisitivo diminui, desorganizando todo o processo produtivo, embora outros agentes consigam mecanismo de defesa para os seus ativos.As relações como o mercado internacional também fica comprometido, as relações de troca permitem surgimento dos déficits comerciais.A classe empresarial geradora de emprego e renda ao se defrontar com um processo inflacionário, começa a ser mais cuidadoso com os seus investimento,   em uma visão de longo prazo não sentem segurança nos lucros esperados de suas atividades e comprometem a criação de empregos. Elevadas taxa de desemprego as suas consequências para a sociedade é terrível, alimenta a insegurança (aumento da violência), insatisfações generalizadas no seio organizacional, quebra da hierarquia caminho mais curto para o caos social. Diante de uma incerteza no ambiente internacional, medidas internas (pontuais) foram tomadas com o objetivo de estimular consumo e o investimento como forma de mantermos um nível de emprego e renda que permita atingirmos um crescimento em torno de 4% à 5% no ano. Teoricamente uma sociedade pode manifestar três tipos de inflação: ( demanda, custo e inercial).A de demanda se manifesta quando observamos aumentos continuados de renda disponível, expansão dos gastos públicos, do crédito, redução das taxas de juros e desconfiança da classe empresarial quanto ao futuro. A de custo está relacionada com desvalorização cambial, custo do trabalho elevado, carga tributária pesada, juros elevados ou provocado por choques externos nos preços de produtos essenciais que as nações são extremamente dependentes.A inercial se manifesta nas sociedades que convivem por muito tempo com inflações elevadas e para se defender utilizam uma série de indexadores como  forma de atualização dos seus preços tornando mais difícil sua queda em razão das remarcações por práticas ou por lei. A inflação passada passa a ser piso para a inflação futura ( lembra algum país). Acredito que o nosso Banco Central, possuidor de um modelo econométrico sofisticado onde  com certeza leva em consideração uma série de variavéis explicativas da situação  interna e externa com suas possíveis probabilidades de ocorrência saiba dosar os instrumentos de política monetária que dispõe e juntamente com a política fiscal estabeleça as condições necessárias e suficientes de mantermos uma estabilização monetária que só benefícios proporciona a sociedade brasileira.Vamos aguardar.

5 comentários:

  1. Enoira Maia, RI 2MA
    Oi Professor, é muito interessante na minha profissão como Internacinalista atenção especial ao modo como a inflação no meu país se movimenta. é sempre bom enriquecer meus conhecimentos com informações tão essenciais.

    ResponderExcluir
  2. Jú - UnP - FP - Noturno15 de maio de 2012 17:06

    Professor Marcos Alves,

    Quero parabenizá-lo por esta notícia http://www.unp.br/noticias-ultimas-det?noticia=1532 que vi no site da UnP.
    Seu blog tem mais de 60 mil acessos em 9 países.

    Brasil - 56.603

    Estados Unidos - 3424

    Portugal - 939

    Angola - 330

    França - 308

    Alemanha - 274

    Holanda - 269

    Rússia - 207

    China - 128

    Moçambique - 108


    Total de acessos: 64517

    É conhecimento gratuito ao alcance de todos. O Sr é Internacional! Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Juliana Cândida Gonçalves - 3NB e 7NB - UnP - FP - Noturno15 de maio de 2012 17:56

    É fácil perceber que a mudança econômica e social do Brasil vem acontecendo paulatinamente. Aos poucos estamos nos adaptando a esta nova realidade que se instala em nosso país. A educação superior está recebendo muito investimento e hoje já se pode falar em empregabilidade. Estamos mais conscientes de nossos direitos, embora muito abaixo do que deveríamos, e graças a isso já é possível se ter maior segurança no futuro.
    Nossa inflação, segundo as projeções do estudo Sensor Econômico divulgado nesta terça-feira (15) feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), diz que a inflação estimada está em 5,1%, enquanto que o governo projetou 4,5% (embora esteja dentro dos 2 pontos percentuais aceitáveis). Se olharmos o nosso passado, veremos que, apesar de não ser a inflação ideal, é ao menos aceitável, haja vista em contrapartida a isto, o mesmo estudo apontar ainda que 1,8 milhão de empregos formais serão gerados ainda no ano de 2012, embora o governo sonhe com um número fechado em 2 milhões de empregos, percebe-se que nossa realidade tende sim a melhorar. Claro que não devemos esquecer que precisamos estar atentos a toda e qualquer projeção e, mais que isso, mudanças que ocorrem o tempo todo no mercado para não sermos pegos de surpresa. Planejamentos de curto prazo precisam ser feitos. No tocante a cuidar do que é nosso, devemos exigir que essas previsões não passem apenas disso e que estas se concretizem de fato para que tenhamos crescimentos reais e não imaginários, utópicos e irreais.
    Se a teoria diz que a inflação demanda tende a aumentar conforme se tem mais gastos públicos, aumento na taxa de juros e desconfiança da classe empresarial, então soluções práticas devem ser geradas por aqueles que controlam tais variáveis. Reduzir juros em setor sim e setor não resolve problemas, na verdade gera conflitos e acredito que até bagunce o mercado. Dar mais créditos aumentando juros cobrados só enriquece banqueiro e pouco ajuda pequenos empreendedores. Como podem nossos empresários sentir firmeza se quem deveria dar é quem mais tira?
    Quando poderemos confiar que há um chão firme a se pisar se o que pode fazer, por hora, é dar passos curtos e tiros no escuro?
    Parece que nos resta tão somente esperar, torcendo para que o pior não aconteça.

    ResponderExcluir
  4. RONY HEBERT RI 2MA

    Bom, quero primeiramente parabeniza-lo pelo enorme quantidade de acessos ao seu site, e deixar também meu comentário. Como futuro Internacionalista percebo que este ponto sobre inflação se torna extremamente importante. Até por que se não ficarmos atentos.. se não tiver medidas satisfatórias que mantenha o país equilibrado, não vai adiantar vender a imagem brasileira lá fora. Não temos como dizer as Multinacionais: " Olhe o Brasil está ótimo! Invista! Ta tudo muito bom.." se o país não estiver bem aqui dentro. A noticia de que a APPLE no dia 26 de janeiro de 2012 deu, não foi por que o Brasil tem uma flora maravilhosa não...mas porque eles estam vendo que o país esta com sua moeda estabilizada e aos trancos e barrancos está caminhando, mesmo com os atrasos. Um estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), uma fundação pública federal vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Barsilia,DF,aponta o Brasil como um dos 3 distinos para investimento estrangeiro. Foram consultados analistas de 176 entidades. Acredito que se realmente colocar em pratica o modelo "econômétrico" como nosso querido Prof. Marcos menciona, pode haver uma grande oportunidade de crescimento.

    ResponderExcluir
  5. Francineide de Souza22 de maio de 2012 08:02

    Em concordância com o seu texto as taxas de desemprego diminuíram, os jovens estão cada vez mas envolvidos com a educação, isso gera conhecimento para o país, e a inflação caminhando para que venha estar cada vez mas baixa (apesar de ainda está alta). O Brasil caminha para a estabilidade (embora que demore mas alguns anos), com uma moeda estável, conseguindo um pouco mas de respeito lá fora.

    ResponderExcluir